quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Lágrimas


No meu rosto corre lágrimas de um desespero sem fim, um grito inútil de flores secas no jardim, de pessoas morrendo sem saber por que outras nascendo, sem saber como viver.
Lágrimas de um mundo destruído pelo homem pobre e ignorante.
Lágrimas de um velho pedinte de rua em situação humilhante.
Lagrimas de um poeta com dor que luta pela paz e pelo amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário